Dentes supranumerários tardios: algo a mais na nossa lista de problemas

Por Administrador

Edição V19N05 | Ano 2020 | Editorial Artigo Original | Páginas 78 até 87

Ana Lurdes CONTE, Taila Quatrin NUNES, Cleber BATASSINI, Roberta GEVAERD, Cesar Augusto Rodenbusch POLETTO

INTRODUÇÃO: As anomalias dentárias são um desafio a ser administrado pelos ortodontistas em um grande número de pacientes. Os dentes supranumerários correspondem a 8-9% das anomalias, e não parecem estar associados a outras alterações de forma, estrutura, tamanho ou posição. São de etiologia genético-ambiental ou causados por hiperatividade da lâmina dentária, geralmente de manifestação única e, quando múltiplos, estão comumente relacionados à disostose cleidocraniana, síndrome de Gardner ou fissuras labiopalatinas. Muitos pré-molares supranumerários têm formação tardia, aproximada- mente 7 a 11 anos após a formação da série numerária, o que coincide com o momento do tratamento ortodôntico para alguns pacientes, com a possibilidade de formação recorrente, razão pela qual é sugerido o monitoramento radiográfico durante e após a Ortodontia. A presença de supranumerários pode dificultar a mecânica ortodôntica, provocar reabsorção das raízes dos dentes vizinhos e causar diastemas, mas a degeneração cística é relativamente rara. OBJETIVOS: Revisar a literatura sobre etiologia, diagnóstico e tratamento de supranumerários com formação tardia, ilustrando com três casos clínicos. CONCLUSÃO: Não há um consenso em relação ao melhor momento de intervenção. A decisão entre a remoção cirúrgica ou o acompanhamento clínico e radiográfico deve ser tomada individualmente, levando em conta a possibilidade de intercorrência cirúrgica e a real necessidade de exodontia.

Dente supranumerário. Ortodontia. Anomalias dentárias.

Conte AL, Nunes TQ, Batassini C, Gevaerd R, Poletto CAR. Late supernumerary teeth: something else to worry about. Clin Orthod. 2020 Oct-Nov;19(5):79-87.