Tratamento da má oclusão esquelética de Classe III: da infância até o fim da adolescência

Por Administrador

Edição V19N03 | Ano 2020 | Editorial Caso Clínico BBO | Páginas 134 até 148

Fábio Lourenço ROMANO, Murilo Fernando Neuppmann FERES, Mírian Aiko Nakane MATSUMOTO

O objetivo do presente artigo foi relatar o caso clínico de uma paciente com má oclusão esquelética de Classe III que iniciou o tratamento aos 6 anos de idade, foi acompanhada durante todo o período de crescimento e a correção foi finalizada aos 17 anos de idade. Inicialmente, a paciente foi submetida à expansão rápida da maxila (ERM), protração maxilar, com máscara facial de Petit, e aparelho impedidor para o hábito de sucção de polegar. Após o tratamento interceptativo, a paciente foi acompanhada até o fim do crescimento. Aos 16 anos de idade, foi submetida ao tratamento ortodôntico corretivo, com a finalidade de camuflar a má oclusão esquelética de Classe III e alcançar os objetivos oclusais ideais. Após um ano de tratamento ortodôntico corretivo, a paciente apresentou Classe I de molares e caninos, corretos overjet e sobremordida e adequada intercuspidação, além de estética facial satisfatória.

Má oclusão Classe III de Angle. Ortodontia interceptora. Ortodontia corretiva.

Romano FL, Feres MFN, Matsumoto MAN. Tratamento da má oclusão esquelética de Classe III: da infância até o fim da adolescência. Rev Clín Ortod Dental Press. 2020 Jun-Jul;19(3):134-48.