Fluxo de trabalho digital no tratamento ortopédico de Classe III com ancoragem esquelética

Por Administrador

Edição V19N02 | Ano 2020 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 112 até 122

Taís de Morais Alves da CUNHA, Inessa da Silva BARBOSA, Carol Silva AMARAL, Bruna Lopes LEITE, Gustavo Mota MASCARENHAS, Marcos Andrade OLIVA

A discrepância maxilomandibular de Classe III tende a se agravar com o crescimento craniofacial, culminando na indicação para cirurgia ortognática. O tratamento precoce da Classe III esquelética é desafiador, visto que frequentemente apresenta prognóstico desfavorável, com elevada taxa de recidiva. A utilização de ancoragem óssea potencializa os efeitos esqueléticos e minimiza as compensações dentoalveolares. Encontram-se na literatura diversos protocolos fazendo uso de mini-implantes e miniplacas com o intuito de tornar esse tratamento mais efetivo, previsível e estético. A aplicação da tecnologia digital na Ortodontia pode contribuir para a maior precisão dos aparelhos ortodônticos, facilitando a execução de etapas clínicas e promovendo maior conforto aos pacientes. Sendo assim, o objetivo do presente artigo é revisar a literatura recente e demonstrar o fluxo de trabalho digital com a utilização de mini-implantes no tratamento precoce da má oclusão de Classe III esquelética.

Ortopedia. Má oclusão Classe III de Angle. Impressão tridimensional.

Cunha TMA, Barbosa IS, Amaral CS, Leite BL, Mascarenhas GM, Oliva MA. Fluxo de trabalho digital no tratamento ortopédico de Classe III com ancoragem esquelética. Rev Clín Ortod Dental Press. 2020 Abr-Maio;19(2):112-22.