Caninos não irrompidos por causa de odontomas podem ser preservados

Por Administrador

Edição V18N01 | Ano 2019 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 154 até 166

Alberto Consolaro, Omar Hadaya, Kaisermann Costa, Ingrid Araújo Oliveira, Mauricio de Almeida Cardoso, Lia Prado de Araújo Padovan

Os dentes não irrompidos impactados e associados a odontomas, especialmente os caninos superiores, devem ser preservados e tracionados ortodonticamente após a remoção cirúrgica da lesão. Os tecidos pericoronários serão reparados e regenerados, inclusive nas áreas dos braquetes e fios aplicados com essa finalidade na superfície do esmalte. Quando se opta pela remoção dos caninos junto com o odontoma associado, as razões devem ser técnicas e baseadas exclusivamente na conveniência clínica, e não em razões biológicas. Os odontomas são neoplasias altamente benignas, não recidivantes e sem potencial para dar origem a outras lesões.

Canino não irrompido, Canino impactado, Folículo pericoronário, Dente não irrompido, Tumores odontogênicos, Odontoma,

Consolaro A, Hadaya O, Costa K, Oliveira IA, Cardoso MA, Padovan LPA. Caninos não irrompidos por odontomas podem ser preservados. Rev Clín Ortod Dental Press. 2019 Fev-Mar;18(1):154-66. DOI: https://doi.org/10.14436/1676-6849.18.1.154-166.cont