Tratamento de mordida cruzada posterior por meio da diagramação dos arcos: relato de caso

Por Administrador

Edição V17N06 | Ano 2018 | Editorial Caso Clínico | Páginas 71 até 86

Honório Tóttoli, Leopoldino Capelozza

“a mordida cruzada posterior é definida como uma relação vestibulolingual anormal de um ou mais dentes da maxila em relação à mandíbula. A literatura apresenta variadas classificações e etiologia multifatorial, com diversas modalidades de tratamento orientadas pelo agente causador. Esse tipo de má oclusão não tem autocorreção e, quando não tratada precocemente, persiste na dentadura permanente. Métodos: o presente trabalho relata o tratamento ortodôntico realizado em uma paciente adulta, face Padrão III assimétrica, para correção de mordida cruzada posterior unilateral. Na ausência de alterações na agradabilidade facial, o tratamento compensatório utilizando o conceito de resgate de forma é a meta terapêutica escolhida, visando eliminar a excrescência e restabelecer a oclusão. Esse modelo de tratamento será apresentado nesse trabalho, com o objetivo de descrever o sistema e ressaltar suas vantagens. Resultados: após a finalização do tratamento, observou- se correção da mordida cruzada posterior, com resgate de forma da arcada inferior, sem alteração da unidade de referência, devido à força ortodôntica leve, correção da Classe III e correta intercuspidação. Conclusões: o tratamento compensatório foi a melhor abordagem terapêutica, pois restabeleceu uma oclusão adequada, com resgate de forma das arcadas dentárias e resultado estético muito satisfatório, por meio de uma mecânica minimalista.

Má oclusão Classe III de Angle, Diagnóstico, Técnicas de movimentação dentária,

Tóttoli H, Capelozza L. Tratamento de mordida cruzada posterior por meio da diagramação dos arcos: relato de caso. Rev Clín Ortod Dental Press. 2018 Dez-2019 Jan;17(6):71-86. DOI: https://doi.org/10.14436/1676-6849.17.6.071-086.art