MARPE: uma alternativa não cirúrgica para o manejo ortopédico da maxila – parte 2

Por Administrador

Edição V17N06 | Ano 2018 | Editorial Eu penso assim | Páginas 24 até 41

Túlio Andrade

“O uso da expansão maxilar em pacientes adultos com ancoragem em mini-implantes vem ocupando um espaço cada vez maior nas abordagens ortodônticas em indivíduos com deficiência transversal da maxila. Os limites são testados a cada vez que nos deparamos com um caso mais complexo ou, até mesmo, quando observamos insucesso total ou parcial na execução da técnica. A experiência mais recente na avaliação tridimensional através da tomografia de feixe cônico trouxe luz à existência de uma série de características específicas que tornam alguns casos mais complexos que outros. O ponto central é que, ao identificar esses aspectos, podemos determinar protocolos bem definidos que permitam ao clínico tratar de seus pacientes com maior segurança e consistência, mesmo em situações mais desafiadoras…”

Andrade T. MARPE: uma alternativa não cirúrgica para o manejo ortopédico da maxila – parte 2. Rev Clín Ortod Dental Press. 2018 Dez-2019 Jan;17(6):24-41. DOI: https://doi.org/10.14436/1676-6849.17.6.024-041.epa