Comportamento eruptivo do canino permanente após enxerto ósseo secundário com rhBMP-2 na área da fissura alveolar: relato de casos

Por Administrador

Edição V16N03 | Ano 2017 | Editorial Caso Clínico | Páginas 91 até 111

Maria da Conceição Andrade de Freitas, Daniela Gamba Garib, Denise Tostes Oliveira, Roberta Martinelli Carvalho, Terumi Okada Ozawa

O presente artigo discute o comportamento eruptivo dos caninos superiores permanentes após o enxerto ósseo alveolar secundário com proteína morfogenética óssea recombinante humana, em pacientes com fissura de lábio e palato. Os distúrbios eruptivos dos caninos superiores em pacientes sem fissuras orofaciais devem-se ao desenvolvimento e erupção ectópicos regidos por fatores genéticos. Mas e quanto ao paciente com fissura labiopalatina? Os caninos superiores permanecem retidos por questões desenvolvimentais genéticas ou devido a fatores locais, como a presença da fissura e um possível entrave mecânico determinado pelo enxerto ósseo alveolar? Tais questões são aqui debatidas por meio da apresentação de três casos clínicos relevantes, com comportamentos distintos dos caninos superiores permanentes na região da fissura.

Freitas MCA, Garib DG, Oliveira DT, Carvalho RM, Ozawa TO. Comportamento eruptivo do canino permanente após enxerto ósseo secundário com rhBMP-2 na área da fissura alveolar: relato de casos. Rev Clín Ortod Dental Press. 2017 Jun-Jul;16(3):91-111. https://doi.org/10.14436/1676-6849.16.3.091-111.art