Má oclusão de Classe II esquelética — a utilização do aparelho extrabucal durante o crescimento maxilomandibular: relato de caso

Por Administrador

Edição V15N01 | Ano 2016 | Editorial Caso Clínico BBO | Páginas 98 até 109

Mírian Aiko Nakane Matsumoto e Fábio Lourenço Romano

A má oclusão de Classe II pode ter origem dentária, esquelética ou a combinação dos dois fatores; seu tratamento pode envolver extrações dentárias e distalização com aparelhos extrabucais ou intrabucais. Quando de origem esquelética, deve-se proceder ao redirecionamento do crescimento, com aparelhos ortopédicos ou cirurgia ortognática, em pacientes adultos. É importante determinar o padrão de crescimento e o tipo morfológico do paciente, para se definir um plano de tratamento adequado. Assim, o objetivo do presente trabalho é relatar um caso clínico de tratamento da má oclusão de Classe II esquelética, envolvendo o redirecionamento maxilar, a distalização de dentes superiores e uma resposta mandibular favorável.

Matsumoto MAN, Romano FL. Má oclusão de Classe II esquelética — a utilização do aparelho extrabucal durante o crescimento maxilomandibular: relato de caso. Rev Clín Ortod Dental Press. 2016 Fev-Mar;15(1):98-109.