A interferência das lesões ósseas dos maxilares na Ortodontia

Por Administrador

Edição V15N01 | Ano 2016 | Editorial Artigo Original | Páginas 81 até 90

Flávia Cristina Rosas de Carvalho e Fernanda Raffaelly de Oliveira Pedreira

Introdução: no manejo do paciente, o cirurgião-dentista poderá se encontrar diante de uma série de processos patológicos, e a Ortodontia tem a maior chance de descobrir ou interceptar lesões bucais, devido à necessidade de sucessivas consultas inerentes a essa especialidade. Algumas lesões são mais frequentes do que outras, podendo interferir direta ou indiretamente no tratamento ortodôntico. Objetivo: a proposta do presente trabalho é descrever as alterações ósseas mais comuns que influenciam no plano de tratamento ortodôntico, e buscar um consenso sobre quando e como atuar ortodonticamente depois de feito o diagnóstico de uma alteração óssea. Resultados e Considerações Finais: no tecido ósseo com fisiologia alterada, forças leves e bem distribuídas devem prevalecer na movimentação ortodôntica; processos patológicos podem ser frequentemente encontrados durante a documentação ortodôntica ou, até mesmo, durante o tratamento ortodôntico; há uma deficiência de estudos e relatos inerentes às alterações ósseas que podem interferir no tratamento ortodôntico; não há consenso na literatura de quando deve-se atuar ortodonticamente após a remoção cirúrgica de patologias ósseas; além disso, faltam parâmetros científicos para determinar se os bisfosfonatos interferem, isoladamente, de forma negativa nas mecânicas ortodônticas.

Carvalho FCR, Pedreira FRO. A interferência das lesões ósseas dos maxilares na Ortodontia. Rev Clín Ortod Dental Press. 2016 Fev-Mar;15(1):81-90.