CONCUSSÃO DENTÁRIA: sugestão de protocolo para controle e conduta na prática clínica

Por Administrador

Edição V15N01 | Ano 2016 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 110 até 125

Alberto Consolaro

A concussão dentária não é induzida pelo tratamento ortodôntico ou pelo trauma oclusal; ela representa uma forma de traumatismo dentário, um dos principais fatores preditivos de reabsorções dentárias mais severas em dentes isolados durante o tratamento ortodôntico. A concussão dentária não leva, de imediato, a qualquer alteração anatômica ou funcional do dente, exceto uma eventual sensibilidade dolorosa, que desaparece após algumas horas, sem ou com o uso de analgésicos. Na concussão dentária, há uma força intensa e súbita sobre a estrutura dentária e alveolar, mas não o suficiente para fraturar o dente ou o osso do processo alveolar. Na concussão dentária, a força se concentra em uma região muito pequena, lesando-a focalmente. As pessoas precisam ser conscientizadas da importância de se consultar um profissional frente ao menor traumatismo ou “batida” acidental nos dentes. O profissional, diante de um relato de concussão dentária, deve adotar um protocolo para controlar e diagnosticar precocemente as 7 possíveis consequências que uma concussão pode produzir. Uma lista com 13 pontos para checagem e controle dos efeitos de concussão recente será apresentada nesse trabalho.

Consolaro A. Concussão dentária: sugestão de protocolo para controle e conduta na prática clínica. Rev Clín Ortod Dental Press. 2016 Fev-Mar;15(1):110-25.