Aplicação da Biomecânica no tratamento da transposição de caninos superiores

Por Administrador

Edição V14N03 | Ano 2015 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 77 até 95

Marcio Rodrigues de Almeida

Entre as várias más oclusões, a transposição dentária constitui uma rara anomalia de desenvolvimento, sendo considerada um tipo de erupção ectópica no qual dois dentes permanentes trocam de posição na arcada. Pode afetar ambos os sexos, sendo mais encontrada no feminino. É mais comum ocorrer na maxila do que na mandíbula. Essa má oclusão parece estar, quase sempre, relacionada ao canino e a um dente adjacente, sendo que, na maioria das vezes, ocorre entre canino e primeiro pré-molar superior. O tratamento depende de como o caso se apresenta, e o ortodontista pode optar pelo posicionamento dos elementos dentários na região da transposição, pela extração de um dente transposto ou, ainda, o alinhamento ortodôntico para suas reais posições na arcada dentária. Apesar dos riscos do tratamento, a transposição pode ser corrigida com sucesso, desde que se leve em consideração o limite fisiológico das estruturas periodontais e das reabsorções radiculares, para que o tratamento planejado possa ser revertido em melhor ganho estético e funcional ao paciente. Em função da baixa casuística de casos tratados na literatura, o objetivo do presente trabalho foi apresentar dois casos clínicos de transposição dentária entre canino e primeiro pré-molar superior, nos quais os elementos dentários foram alinhados e nivelados em suas corretas posições. Ilustrou-se, assim, a aplicação de uma mecânica com recursos auxiliares da biomecânica, com a qual pode-se conseguir maior previsibilidade no tratamento dessa difícil e complexa má oclusão.

Almeida MR. Aplicação da Biomecânica no tratamento da transposição de caninos superiores. Rev Clín Ortod Dental Press. 2015 jun-jul;14(3):77-95.