O sucesso da Cirurgia Ortognática está sendo questionado: ela devolve quais funções?

Por Administrador

Edição V14N02 | Ano 2015 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 102 até 105

Alberto Consolaro

Estimulados pelos planos de saúde, profissionais e o Hospital Albert Einstein criaram um programa para a emissão de segunda opinião profissional sobre a necessidade ou não de cirurgias ortognáticas. A imprensa leiga mostrou que em 29% dos casos analisados por esse programa não havia indicações para as cirurgia ortognática, no entanto, não fizeram a devida ressalva de que o foco, ou o alvo, eram os casos indicados por apneia ou ronco durante o sono. Também não destacaram que tipo de profissionais fizeram essas indicações e nem mesmo quem operou os casos que, posteriormente, revelaram complicações. Para restabelecer as funções de oclusão, mastigação, deglutição e fala, as indicações das cirurgias ortognáticas são criteriosamente determinadas e comprovadas por amplos resultados apresentados cientificamente em periódicos específicos. Restabelecer essas funções mencionadas, além da estética facial, é um direito dos pacientes: geralmente, essas funções dependem da posição adequada e tamanho proporcional dos maxilares. Nos casos da apneia e ronco, são muitos os fatores a serem corrigidos, que dependem muito mais do paciente e de seu entorno; nesses casos, a Cirurgia Ortognática, isoladamente, em geral, não resolverá os problemas do paciente.

Consolaro A. O sucesso da Cirurgia Ortognática está sendo questionado: ela devolve quais funções? Rev Clín Ortod Dental Press. 2015 abr-maio;14(2):102-5.