Distração osteogênica mediossagital da mandíbula: avaliação em modelos de estudo

Por Administrador

Edição V13N05 | Ano 2014 | Editorial Artigo Inédito | Páginas 39 até 51

Fernando José Lopes de Campos Carvalho , Luiz Gonzaga Gandini Júnior, Cristina Azevedo de Oliveira

Introdução / A distração osteogênica mediossagital da mandíbula (DOMM) tem sido apresentada como tratamento para o apinhamento inferior associado à atresia mandibular. Objetivo / Avaliar, por meio de modelos de estudo, os efeitos da DOMM na arcada inferior de pacientes que utilizaram aparelhos dentossuportados. / Métodos / A amostra consistiu de 14 pacientes (5 do sexo masculino e 9 do feminino), com idades variando de 13 a 19 anos (média de idade de 15,74 ± 1,89 anos) ao início do tratamento. Modelos de estudo foram obtidos de cada paciente ao início do tratamento (T1 ), três meses após a DOMM (T2 ) e no momento da remoção dos aparelhos fixos (T3 ). Os dados foram submetidos à Análise de Variância e teste complementar de Duncan. / Resultados / Todas as dimensões transversais aumentaram com a DOMM, o comprimento da arcada não sofreu alteração estatisticamente significativa, o perímetro da arcada aumentou e o Índice de Irregularidade diminuiu consideravelmente, refletindo a correção do apinhamento anteroinferior. Os dentes posteriores apresentaram maior expansão das cúspides do que das cervicais, indicando uma possível inclinação causada pelo uso de aparelho dentossuportado. Todas a medidas mostraram algum grau de recidiva, que variou de 2,8% a 8,84%. / Conclusões / Os achados dessa pesquisa permitiram concluir que a DOMM é uma alternativa eficaz para o tratamento do apinhamento associado à deficiência transversal da mandíbula.

Carvalho FJLC, Gandini Júnior LG, Oliveira CA. Distração osteogênica mediossagital da mandíbula: avaliação em modelos de estudo. Rev Clín Ortod Dental Press. 2014 out-nov;13(5):39-51.