O papel do periósteo nos procedimentos ortopédicos como exemplo de sua capacidade reparatória

Por Administrador

Edição V13N02 | Ano 2014 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 90 até 104

Alberto Consolaro

Na Ortopedia, o periósteo adquire relevância por estar associado à morfologia óssea, que pode ser modificada pelas demandas funcionais, contribuindo enormemente com o dinamismo oferecido pela remodelação, ou turnover, óssea. Estudar mais profundamente a capacidade adaptativa, reacional e reparatória do periósteo nos permite entender: 1) o comando dos osteócitos na determinação da morfologia óssea, inclusive durante o movimento dentário induzido; 2) a expansão rápida do palato e as mudanças ocorridas na forma da maxila; 3) o deslocamento mandibular por aparelhos ortopédicos funcionais; 4) a etiopatogenia da periostite ossificante, antigamente denominada de osteomielite de Garrè; 5) a “expansão” das corticais durante os crescimentos císticos e tumorais. Nesse trabalho, discorre-se sobre os eventos celulares e teciduais das reações periosteais e suas extrapolações clínicas.