Síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS): considerações gerais sobre etiologia, diagnóstico e tratamento

Por Administrador

Edição V12N02 | Ano 2013 | Editorial Pergunte a um Expert | Páginas 8 até 16

Roberto Macoto Suguimoto, Gabriel Ramalho-Ferreira, Leonardo Perez Faverani

INTRODUÇÃO: Conceituação / Etiologia – Por definição, apneia é a interrupção do fluxo aéreo em qualquer nível do trato respiratório, mais notavelmente no nariz e orofaringe, por pelo menos 10 segundos. Atualmente, o típico paciente com síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é do sexo masculino, na quinta ou sexta década de vida, de baixa estatura e acima do peso. A SAOS é traiçoeira e tem sido destacada como causa de acidentes no trânsito e no trabalho, isso porque os pacientes desenvolvem cefaleia ao acordar, arritmias cardíacas, dificuldade de concentração e problemas familiares, tais como incômodo geral e desagregação familiar, que podem levar até a separação do casal. A sonolência diurna é muito comum porque os múltiplos episódios apneicos fazem com que o sono noturno não seja reconfortante1. Além disso, está atrelada a algumas desordens sistêmicas, direta ou indiretamente, tais como hipertensão arterial sistêmica, hipotireoidismo e afecções cardiopulmonares, o que agrava a situação clínica do paciente. Na população não sindrômica, a SAOS é mais comumente vista em pacientes retrognatas e obesos, sendo que o consumo de álcool piora os episódios apneicos. Já na população com síndromes craniofaciais, os principais fatores que ocasionam a SAOS são a hipoplasia da face média e mandibular. Assim, a hipoplasia mandibular pode resultar num colapso posterior da base da língua e na diminuição da via aérea na orofaringe. […]