A ciência convida o homem a aprender, a religião o convida a agir

Por Administrador

Edição V12N01 | Ano 2013 | Editorial Editorial | Páginas 5 até 5

A frase acima é atribuída a Max Planck, físico e ganhador de um Nobel de Física em 1918, com sua hipótese de que a emissão da energia eletromagnética não seria um processo contínuo, mas estabelecido por determinadas quantidades mínimas de energia, chamadas por ele de “quantum” (Autobiografia científica e outros ensaios – Max Planck. Editora Contraponto). Apesar de uma sólida formação teórica, passaram-se anos até que recebesse a aceitação generalizada da comunidade científica. Tornou-se, ao longo da vida, uma pessoa espiritualizada e que sofreu um profundo golpe quando seu filho, acusado de traição, foi executado pelo regime nazista. Anos antes, havia tentado convencer Hitler da necessidade de preservação dos pesquisadores judeus, quando ouviu que: ”Se a ciência não pode passar sem judeus, teremos de nos haver sem a ciência!”.