Relação entre DTM e tratamento ortodôntico na visão de clínicos gerais, especialistas em Ortodontia e especialistas em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial

Por Administrador

Edição V11N06 | Ano 2012 | Editorial Caso Clínico | Páginas 20 até 26

Waleska Caldas, Bruno D’Aurea Furquim, Augusto Ricardo Andrighetto

Objetivo: o objetivo do presente estudo foi avaliar a visão de clínicos gerais (CG), especialistas em Ortodontia (EO) e especialistas em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial (EDTM), por meio de questionário, quanto à inter-relação tratamento ortodôntico e DTM. Métodos: foi enviado questionário via correio eletrônico a 9.490 cirurgiões-dentistas de diferentes regiões do Brasil. Resultados: dos 132 profissionais que responderam à pesquisa, 75% relatou examinar, usualmente, seus pacientes quanto a sinais e sintomas de DTM previamente ao tratamento odontológico. A maioria dos profissionais (55%) afirmou acreditar que tratamento ortodôntico pode prevenir DTM; 68% dos EDTM não concordam com essa opinião. A maior parte (62%) associou tratamento ortodôntico à causa da DTM e não acredita que Ortodontia possa tratar a referida desordem (56%). A maioria dos CG (64%), no entanto, considera que se pode tratar DTM por meio de Ortodontia. Conclusão: a maioria dos profissionais acredita que tratamento ortodôntico pode prevenir DTM, mas que, ao mesmo tempo, não pode curar e pode ainda causar tal desordem. Foi encontrada diferença estatisticamente significativa em relação às respostas das três áreas de interesse (CG, EO e EDTM).