Estudo comparativo do padrão de crescimento entre as análises USP, Ricketts, McNamara e Jarabak

Por Administrador

Edição V11N05 | Ano 2012 | Editorial Domínio Conexo | Páginas 30 até 34

Daniela Coelho Rangel, Mari Eli Leonelli de Moraes, Lucia Teramoto, Luiz Cesar de Moraes, Michelle Bianchi de Moraes

Objetivo: o objetivo desse estudo foi comparar o diagnóstico de quatro grandezas cefalométricas rotineiramente utilizadas na determinação do padrão de crescimento craniofacial e verificar a possibilidade, ou não, de concordância entre elas. Métodos: a amostra foi composta por 30 telerradiografias laterais de indivíduos brasileiros, sendo 18 do sexo feminino e 12 do sexo masculino, com idade média de 21 anos. As análises cefalométricas avaliadas foram USP, Ricketts, McNamara e Jarabak. Para obtenção das grandezas NS.Gn (padrão USP), AFAI (padrão McNamara), Eixo Facial (padrão Ricketts) e Percentual S-Go/N-Me (padrão Jarabak), foi usado o software Radiocef 4.0. Conclusão: para os braquicefálicos a análise de Jarabak apresenta o maior percentual e difere apenas da análise de Ricketts (0%). Nos dolicocefálicos, Jarabak foi diferente de todos os demais testes e nos mesocefálicos não existem diferenças estatísticas para os testes, mesmo entre McNamara e Ricketts, apresentando o valor de 20%.