O papel do ortodontista: chefe ou líder?

Por Administrador

Edição V11N03 | Ano 2012 | Editorial Editorial | Páginas 5 até 5

Weber Ursi

Queira ou não, goste ou não, um dos papéis de um ortodontista, em uma clínica relativamente bem-sucedida ou que atingiu uma certa maturidade, é o de coordenador de uma equipe, mesmo que essa seja de uma só pessoa. O papel tradicional, originado de uma estrutura bastante hierárquica e que rege a maioria dos consultórios brasileiros, é o de ser o “chefe”. O chefe tem o poder de contratar e de demitir; daí, a relação com sua equipe se torna de medo, temor, ao invés de respeito e admiração. Enquanto presente, o chefe é, geralmente, atendido; na sua ausência, muitas vezes é sabotado. Um colega me relatou, há algum tempo, que sua agenda, de uma hora para outra, não registrava pacientes no último horário do dia. Bastou uma ligação como “cliente oculto” para revelar que, como a secretária tinha compromissos naquele horário, era conveniente para ela que não houvesse pacientes, pois dessa maneira poderia sair mais cedo. […]