Aos nossos pés – a escolha do melhor piso para sua clínica

Por Administrador

Edição V11N03 | Ano 2012 | Editorial Arquitetura do Ambiente Clínico | Páginas 26 até 28

Maria Augusta Paes de Mello

Com muitas opções disponíveis no mercado, nos dias de hoje, fica cada vez mais difícil escolher qual piso é o melhor, quando se está construindo ou reformando. Parte importante na composição espacial dos ambientes, é preciso observar a atividade que será desenvolvida, pois essa escolha, além de interferir esteticamente, influenciará também na manutenção do ambiente, na reflexão da luz e na acústica. É importante ressaltar que existem normas que regulamentam o uso de materiais em ambientes, destinados ao atendimento na área da Saúde, onde será necessária a descontaminação. Os materiais devem ser laváveis, resistentes, impermeáveis e a superfície deve apresentar baixo índice de porosidade. Seguem algumas dicas que independem do revestimento escolhido. Em ambientes pequenos, faça uso de pisos monocromáticos, pois, quanto maior a mudança de cores e texturas, menor é a sensação de amplitude dos ambientes. A mudança de material e cor somente é indicada quando há necessidade de setorizar, direcionar e dividir ambientes sem o uso de paredes. O piso também deve ser liso, permitindo o fácil deslocamento dos mochos e armários com rodízios. Pisos mais escuros absorvem mais luz e exercem efeitos psicológicos adversos, enquanto cores claras refletem a luz e possuem efeito psicológico positivo. Buscando auxiliá-lo nessa escolha, ao longo desse artigo iremos expor alguns tipos de piso encontrados no mercado e suas características. […]