Assimetrias do plano frontal da maxila: diagnóstico e tratamento (parte II)

Por Administrador

Edição V10N06 | Ano 2011 | Editorial Pergunte a um Expert | Páginas 12 até 17

Marcos Janson

Dando continuidade à Parte I desse artigo, publicada na edição anterior, será novamente enfatizado o diagnóstico da assimetria com o objetivo de verificar, por meio do conhecimento do ideal de estética do sorriso, qual lado do paciente apresenta-se irregular e, a partir daí, planejar o tratamento, seja ele ortodôntico compensatório ou ortodôntico-cirúrgico. Nos Casos I e II (apresentados no primeiro artigo), os pacientes exibiam assimetria do plano maxilar e, também, da face, sendo que o lado em dissonância expunha a gengiva em demasia. No Caso III (Fig. 1 a 9) existe, também, um desvio esquelético, porém há uma deficiência vertical, com falta de exposição. Apesar da similaridade mecânica, esse caso apresenta a possibilidade de correção sem ancoragem esquelética, por meio de levantamento de planos diferenciais.