Tracionamento de canino permanente superior: relato de caso clínico

Por Administrador

Edição V10N04 | Ano 2011 | Editorial Artigo | Páginas 108 até 121

Mauricio de Almeida Cardoso, Sérgio Luiz de Azevedo Silva, Leopoldino Capelozza Filho, Alberto Consolaro, Danilo Furquim Siqueira

A identificação precoce do canino não irrompido pode reduzir a necessidade de tratamentos ortodônticos complexos e dispendiosos. É importante que clínicos gerais e odontopediatras estejam atentos durante o monitoramento da erupção em crianças no estágio de dentadura mista, não apenas cuidando da saúde bucal, mas também identificando possíveis distúrbios nesse processo. Este caso clínico descreve uma paciente com nove anos de idade, encaminhada pela odontopediatra com histórico de atresia maxilar e canino permanente superior esquerdo não irrompido, com inclinação axial em direção ao incisivo lateral permanente adjacente. O dente 23 foi acessado cirurgicamente, perfurado e, após realizada expansão maxilar, submetido a tracionamento, por meio de amarrilhos de aço e molas de TMA. O tracionamento ortodôntico permitiu a erupção do canino e a chave para o sucesso foi a identificação precoce, a abordagem interdisciplinar e a interceptação apropriada com forças controladas, que renderam bons resultados estéticos e periodontais, como demonstrado tanto pela satisfação da paciente quanto por ocasião do controle feito dois anos após a finalização do tratamento.