Etiologia das más oclusões: perspectiva clínica (Parte I) — fatores genéticos

Por Administrador

Edição V09N02 | Ano 2010 | Editorial Domínio Conexo | Páginas 77 até 97

Daniela G, Garib, Omar Gabriel da Silva Filho, Guilherme Janson

A etiologia das más oclusões representa um tema de importância relevante na especialidade Ortodontia. Primeiro, por cumprir um compromisso acadêmico, a erudição fundamental do especialista. Segundo, por possibilitar ao ortodontista uma visão mais aprofundada, e por isso mais refinada, da origem do problema. O arsenal de informações permite ao profissional ponderar sobre a possibilidade de prevenção de uma determinada irregularidade, delinear seu prognóstico de tratamento e a estabilidade da correção, bem como valorizar a sua manifestação provável na árvore genealógica. O presente trabalho investe numa classificação simples e em consonância com a prática clínica, dividindo os fatores etiológicos em dois grandes grupos: fatores genéticos e fatores ambientais. É oportuno comentar de antemão que, pela diversidade morfológica, esses dois fatores podem estar presentes na mesma má oclusão, somando seus efeitos. Por motivos unicamente didáticos, o texto abrangendo os dois fatores etiológicos será dividido em 3 partes. A parte I discute as características dentofaciais com marcante determinação genética. A parte II destaca os fatores ambientais que provocam más oclusões. A parte III retrata as fissuras labiopalatinas, cuja etiologia congrega fatores genéticos e ambientais.