Expansão rápida da maxila (ERM) associada à irrupção de mesiodens e tração cirúrgica do dente 21

Por Administrador

Edição V07N05 | Ano 2008 | Editorial Artigo | Páginas 77 até 83

José Fernando Castanha Henriques, Lucelma Vilela Pieri, Rafael Pinelli Henriques, Karina Maria Salvatore de Freitas, Marcos Roberto de Freitas, Guilherme Janson, Francyle Simões Herrera

Os dentes supranumerários são uma anomalia de número por superatividade da lâmina dentária, devido a causas locais e genéticas, estando presentes em displasias congênitas. Eles ocorrem na maxila e na mandíbula, isoladamente ou de forma múltipla, unilateral ou bilateral; com má formação ou com tamanho e formas normais. Raramente ocorrem na dentadura decídua. A prevalência é de 1%, sendo o gênero masculino o mais acometido (2:1); de 90% a 98% ocorrem na maxila, 90% na pré-maxila entre os incisivos centrais (mesiodens), nas posições vertical, invertida ou transversa, irrompidos ou impactados. O diagnóstico é clínico e/ou radiográfico (técnica de Clark na maxila; técnica oclusal na mandíbula), podendo ser detectados precocemente, já aos 5-7 anos de idade. Os dentes supranumerários devem ser removidos quando interferirem na irrupção dos dentes permanentes, na oclusão e na estética. O acompanhamento radiográfico é essencial. A remoção cirúrgica do supranumerário só está indicada quando os dentes permanentes adjacentes já estiverem com as suas raízes completas, caso contrário poderá ocorrer interrupção de sua formação, devido à proximidade de ambos. Neste artigo, será apresentado o caso clínico de um paciente, de 7 anos de idade, com mesiodens, que fez apenas a expansão rápida da maxila (ERM) e o acompanhamento radiográfico por meio de radiografias periapicais e panorâmicas até a irrupção passiva do mesiodens. A ERM proporcionou um corredor de irrupção para o mesiodens que, por meio de sua força de irrupção ativa, favoreceu a sua irrupção passiva e exodontia simples e o tracionamento cirúrgico do dente 21 impactado.