Aparelho Pêndulo modificado associado à ancoragem esquelética

Por Administrador

Edição V07N04 | Ano 2008 | Editorial Dica Clínica | Páginas 24 até 29

Acácio Fuziy, Fabrício Monteiro de Castro Machado, Clóvis Yssonobu Tsubono, Marcello Salloume Semaan

Na década de 90, diversos dispositivos distalizadores intrabucais, denominados aparelhos de não-cooperação, foram introduzidos na Ortodontia com o objetivo de promover a rápida distalização dos molares superiores, independendo da colaboração dos pacientes. Entretanto, estes sistemas apresentavam, como característica comum, a ancoragem dentomucossuportada por meio do botão palatino de Nance. Isto resultava, durante a dissipação da força distalizadora, na ação recíproca sobre a unidade de ancoragem, o movimento mesial de pré-molares e de caninos, e vestibular de incisivos. Assim sendo, o aparelho Pêndulo modificado associado à ancoragem esquelética permite distalizar os molares superiores com o controle da ancoragem, evitando-se os efeitos indesejáveis que estão presentes na mecânica de distalização dos molares. Destaca-se, ainda, com o emprego deste aparelho, a ocorrência do movimento distal de pré-molares e caninos pela ação das fibras transeptais, contribuindo para a redução no tempo total de tratamento.