Bisfosfonatos e tratamento ortodôntico

Por Administrador

Edição V07N03 | Ano 2008 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 104 até 109

Alberto Consolaro, Maria Fernanda M-O Consolaro

As características do sucesso de um tratamento ortodôntico, quase sempre, passam por estes critérios: (1) restabelecimento funcional, (2) obtenção da harmonia estética desejada pelo paciente, (3) mínimo dano estrutural, (4) ausência de sintomatologia e desconforto, (5) movimentação rápida, (6) duração breve do tratamento, (7) estabilidade de resultados. Nem sempre se consegue obter a plenitude destes critérios, pois às vezes não é possível compatibilizar a biologia, a técnica e a expectativa do paciente e do profissional. Dentro do critério referente ao mínimo dano tecidual, enquadram-se as reabsorções radiculares – que são previsíveis, controláveis e de bom prognóstico, mas nem sempre são evitáveis. Quando se faz a previsão de reabsorções radiculares durante o planejamento do tratamento ortodôntico, para se atingir determinado objetivo estético e funcional, e as mesmas ocorrem, não estaremos frente a uma iatrogenia, mas sim diante de um custo biológico, um dano estrutural calculado, a partir de um risco assumido pelo profissional, com a concordância do paciente.