Documentos odontológicos: “Doutor, eu preciso de um ‘laudo’!”

Por Administrador

Edição V07N01 | Ano 2008 | Editorial Ortodontia Forense | Páginas 46 até 47

Beatriz Helena Sottile França

Tem sido freqüente nos consultórios odontológicos a presença de pacientes que marcam consulta para uma avaliação das condições de saúde de suas bocas com um único objetivo, o de saberem se o tratamento que realizaram ou estão realizando com outro colega, se encontra adequado. Porém, só confessam que é este o objetivo quando o profissional informa da necessidade de tratamento. Isto tem gerado aos profissionais uma situação embaraçosa, porque não há como ser conivente quando se observa que realmente o tratamento deixou a desejar (por outro lado, nunca se sabe em que circunstâncias o tratamento foi realizado). Não bastasse o inconveniente, resta ainda ter que ouvir todo tipo de crítica ao colega. Não menos freqüente, vem a solicitação do paciente para que o profissional elabore um “laudo” sobre o que observou. Infelizmente, colegas menos informados têm, com grande freqüência, participado das críticas com o intuito de conquistar o paciente e atendido esse tipo de solicitação sem saberem das implicações legais a respeito.