Utilização do laser de CO2 em lesões de hiperplasia gengival de pacientes ortodônticos

Por Administrador

Edição V06N05 | Ano 2007 | Editorial Artigo | Páginas 54 até 58

Sabrina Kívia Correia Gama, Telma Martins de Araújo, Ana Paula Cavalcanti de Sousa e Antônio Luiz Barbosa Pinheir

A presença de acessórios nos aparelhos ortodônticos fixos favorece o acúmulo de biofilme bacteriano. Além disso, a negligência com a higiene bucal, por parte dos pacientes, faz com que a hiperplasia gengival ocorra com freqüência. O tratamento desta, além da gengivectomia convencional, pode ser realizado com laser de dióxido de carbono. Por um lado, as vantagens do uso deste laser são: proporcionar uma excelente hemostasia, resultante do vedamento de pequenos vasos sangüíneos, possibilitando uma excelente visualização do campo operatório; diminuição da contração e formação de cicatrizes; redução do edema, da dor pós-operatória e da possibilidade de difusão de células anormais, devida ao vedamento de vasos linfáticos. Por outro lado, as desvantagens são o custo elevado, o tamanho do equipamento e a necessidade de pessoal especializado. Neste artigo, demonstrou-se as vantagens desta técnica na remoção de lesões de hiperplasia gengival em pacientes portadores de aparelho ortodôntico fixo.