Tratamento da mordida aberta anterior: relato de caso clínico

Por Administrador

Edição V06N04 | Ano 2007 | Editorial Artigo | Páginas 88 até 96

Márcio José Reis, Carla Nogueira Pinheiro, Mirelle Malafaia

Fazendo parte das más oclusões verticais, a mordida aberta anterior é motivo de grande preocupação na clínica ortodôntica. Podemos defini-la como sendo a presença de um trespasse vertical negativo existente entre as bordas incisais dos dentes anteriores superiores e inferiores. É uma má oclusão difícil de ser tratada e de estabilidade duvidosa, em decorrência da sua uma etiologia multifatorial. O prognóstico apresenta-se de bom a deficiente, dependendo das condições apresentadas: gravidade, etiologia e fase em que se inicia o tratamento. Possuindo uma maior predileção pela população infanto-juvenil, a mordida aberta anterior deve ser corrigida o mais precocemente possível, proporcionando uma terapêutica mais simples e um prognóstico mais favorável. Uma abordagem multidisciplinar é necessária para a manutenção da oclusão normal obtida pelo tratamento ortodôntico. Portanto, o objetivo deste artigo é realizar uma breve revisão de literatura sobre a etiologia e os tipos de tratamento mais empregados na correção da mordida aberta anterior, seguindo-se com a apresentação de um caso clínico.