Tensão nas áreas de compressão do ligamento periodontal durante o movimento ortodôntico. E os binômios?

Por Administrador

Edição V06N03 | Ano 2007 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 107 até 111

Alberto Consolaro

Quando um dente é movimentado ortodonticamente em uma determinada direção, o ligamento periodontal fica submetido a uma compressãoa, visto que tem a configuração espacial de uma fina membrana conjuntiva que circunda toda a superfície radicular. As fibras se dobram, em sua maioria, e algumas poucas podem se estirar, ao mesmo tempo em que muitas células se deformam e quebram a tensigridadeb, promovendo o estresse celular mecânico. Os vasos sofrem mudanças do seu diâmetro e uma hipóxia induz as células ao estresse celular bioquímico. Desta forma, os mediadores celulares, liberados na região em função do estresse celular, induzem a reabsorção da face periodontal do osso alveolar pelas unidades osteorremodeladoras. Esta forma de remodelação óssea alveolar durante o movimento ortodôntico pode ser observada experimentalmente e, há muito tempo, não mais constitui uma teoriac, mas sim um conjunto de eventos biológicos bem estabelecidos, a partir de Schwartz5 e Reitan4; confirmados, acrescentados e detalhados por inúmeros outros autores, incluindo Baumrind1, Heller e Nanda3. Na figura 1 alguns destes eventos podem ser observados microscopicamente.