Importância clínica do diagnóstico de fratura da crista alveolar nos procedimentos de expansão rápida de maxila assistida cirurgicamente

Por Administrador

Edição V06N01 | Ano 2007 | Editorial Artigo | Páginas 85 até 90

Murilo Zucato de Oliveira, Camila Lopes Cardoso, Daniel Salvatore de Freitas, Eduardo Sant’Ana, Osny Ferreira Júnior

A expansão rápida da maxila assistida cirurgicamente (ERMAC) tem sido cada vez mais utilizada no tratamento de pacientes portadores de deficiências transversais de maxila, após a fase de crescimento. Durante o trans-operatório, podem ocorrer dois tipos de fraturas na crista óssea alveolar entre os incisivos centrais superiores: a fratura simétrica e a assimétrica. A utilização de um protocolo de ativação do parafuso expansor, após a cirurgia, sem levar em consideração as particularidades da fratura da crista alveolar pode resultar em complicações tardias como: mobilidade dentária, criação de defeitos ósseos permanentes e prejuízo estético do sorriso. Sendo assim, é importante reconhecer o tipo de fratura, por meio de diagnósticos acessíveis como as técnicas de radiografia periapical e oclusal, para estabelecer uma melhor conduta em relação ao período, tipo ou quantidade de ativação pós-operatória do parafuso expansor.