Avaliações tegumentares, esqueléticas e dentárias do perfil facial

Por Administrador

Edição V05N06 | Ano 2006 | Editorial Artigo | Páginas 95 até 105

Klaus Barretto Lopes, João Batista de Paiva, José Rino Neto, Gilberto Vilanova Queiroz, Maria Fernanda Bozzini, Beatriz de Farias

O propósito do presente estudo foi avaliar, radiograficamente, a relação entre lábios, pogônio mole, maxila, mandíbula e incisivos, em indivíduos com perfil facial equilibrado. Foram avaliados 30 brasileiros do gênero feminino, entre 19 e 31 anos de idade, dos quais foram obtidas telerradiografias em norma lateral, na posição natural da cabeça orientada. A análise cefalométrica foi realizada avaliando-se o nariz, os lábios e o pogônio mole em relação à vertical verdadeira que passa pelo ponto subnasal (SnV), a maxila e a mandíbula em relação à base do crânio e os incisivos em relação às suas bases ósseas. Os resultados demonstraram que o lábio superior se apresentou ligeiramente à frente da linha SnV, o lábio inferior se posicionou sobre a linha e o pogônio mole atrás da mesma. Já a maxila se apresentou ligeiramente protruída enquanto a mandíbula encontrou-se bem posicionada em relação à base do crânio, deste modo, a relação maxilomandibular se mostrou um pouco aumentada. Embora os incisivos superiores tenham apresentado inclinações normais, os inferiores se encontraram ligeiramente vestibularizados. Foram, também, observadas correlações positivas estatisticamente significantes entre: o comprimento mandibular e a projeção do lábio inferior, a projeção do pogônio duro e a projeção do pogônio mole, a relação maxilomandibular e a relação labial no sentido ântero-posterior, a projeção dos lábios e a projeção do pogônio mole. Foi observada, ainda, correlação negativa estatisticamente significante entre: a inclinação do incisivo inferior e a projeção do lábio inferior, a inclinação do incisivo inferior e a projeção do pogônio mole.