Uma alternativa de tratamento da má oclusão de Classe II, 1ª divisão: tração extrabucal e aparelho fixo inferior

Por Administrador

Edição V05N06 | Ano 2006 | Editorial Artigo | Páginas 53 até 62

Darwin Vaz de Lima, Karina Maria Salvatore de Freitas, Ruy Carlos da Fonseca, Marcos Roberto de Freitas, Rafael Pinelli Henriques

A correção da má oclusão de Classe II, 1ª divisão, vem sendo o objetivo de muitos estudos e pesquisas, com enfoque em aparelhos ortodônticos fixos e ortopédicos. Há um consenso na literatura com relação à conduta frente às alterações esqueléticas características neste tipo de má oclusão, visando sempre, inicialmente, a correção da discrepância esquelética e, posteriormente, o nivelamento dos dentes com os aparelhos fixos. O uso da tração extrabucal com apoio cervical KHG (Klöehn Headgear) utilizada no arco superior para a correção das alterações esqueléticas, associada ao aparelho fixo somente no arco inferior até a correção da relação molar em Classe I, apresenta-se como uma alternativa de correção da má oclusão Classe II, 1a divisão, em pacientes com sobremordida e na fase de dentadura permanente jovem, com média de idade de 10 a 13 anos. Este artigo teve como objetivo a descrição de uma opção de tratamento para este tipo de má oclusão, envolvendo o uso simultâneo dos aparelhos extrabucal cervical e fixo, bem como apresentar as indicações, vantagens e efeitos ortodônticos e ortopédicos, por meio da apresentação de dois casos clínicos tratados com esta metodologia.