O uso de miniimplantes como ancoragem ortodôntica – planejamento ortodôntico/cirúrgico

Por Administrador

Edição V05N06 | Ano 2006 | Editorial Dica Clínica | Páginas 21 até 28

Ana Cláudia Moreira Melo, Lucila Largura Zimmermann, Paulo César Raveli Chiavini, Eleise Sosnoski Belaver, Huberto Araldi Leal, Geninho Thomé

A ancoragem pode ser definida em Ortodontia como a resistência ao movimento dentário indesejado e é uma das maiores preocupações do ortodontista durante o planejamento e execução do tratamento ortodôntico. A ancoragem poder ser obtida tanto por mecanismos intrabucais (Barra palatina, Botão de Nance, etc), como por meio de aparelhos extrabucais, o que torna a colaboração do paciente imprescindível para o sucesso do tratamento. Com o objetivo de buscar métodos de ancoragem intrabucal independentes da colaboração do paciente, alguns autores sugeriram a utilização de implantes dentários osseointegrados para utilização em Ortodontia e, recentemente, foram desenvolvidos implantes específicos, entre eles os miniimplantes. Estes apresentam tamanho reduzido, o que possibilita sua instalação inclusive entre raízes dentárias, viabilizando seu uso em inúmeras situações clínicas. Baseado nos benefícios que a utilização dos miniimplantes trazem à prática ortodôntica, o objetivo deste artigo é a descrição do planejamento ortodôntico/cirúrgico e da mecanoterapia ortodôntica, com exemplos clínicos.