Transposição dentária: um desafio na clínica ortodôntica – relato de caso

Por Administrador

Edição V05N04 | Ano 2006 | Editorial Artigo | Páginas 75 até 84

Otávio José Praxedes Neto, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas, Angela Maria de Medeiros

Transposição dentária constitui uma rara anomalia de desenvolvimento, sendo considerada como um tipo de irrupção ectópica, em que dois dentes permanentes trocam de posição no arco. Estudos paleotonlógicos têm mostrado a presença de transposições dentárias em homens pré-históricos do sudeste e norte da Ásia, comprovando que esse tipo de má oclusão não deve ser considerado uma desarmonia dos tempos modernos. A transposição dentária pode afetar ambos os gêneros, sendo mais encontrada em mulheres, no arco dentário superior, sendo a do tipo unilateral mais freqüente que a bilateral. A etiologia ainda não se encontra bem elucidada, existindo muitas controvérsias. O tratamento irá depender quase exclusivamente de como o caso se apresenta, podendo o ortodontista optar pelo alinhamento dos elementos dentários na posição da transposição, pela extração de um ou ambos os dentes transpostos ou então o alinhamento ortodôntico para suas reais posições no arco dentário. Apesar dos riscos do tratamento, que exige do profissional uma mecânica de extremo controle, a transposição pode ser corrigida com sucesso, desde que sempre levado em consideração o limite fisiológico das estruturas periodontais e das reabsorções radiculares, para que o tratamento planejado possa ser revertido em um melhor ganho estético e funcional ao paciente. Em virtude da carência de casos clínicos tratados na literatura com a reversão da transposição, o objetivo do nosso trabalho foi apresentar um caso clínico de transposição dentária entre o canino e o primeiro pré-molar superior do lado direito, onde os elementos dentários foram alinhados e nivelados em suas reais posições.