Nivelamento 4×2: ponderações sobre sua aplicação na dentadura mista e permanente

Por Administrador

Edição V05N03 | Ano 2006 | Editorial Dica Clínica | Páginas 20 até 33

Omar Gabriel da Silva Filho, Tulio Silva Lara, Guilherme Ferreira Bibiano Silva

A má oclusão figura em grande parcela da população nos três estágios do desenvolvimento da oclusão: dentadura decídua, mista e permanente, exigindo sua correção em algum momento, uma vez que ela não se auto-corrige. Quando aplicada na dentadura decídua ou mista, a mecanoterapia caracteriza um nível de abordagem que se convencionou chamar de “Ortodontia interceptiva”. Um exemplo é a correção precoce de irregularidades dos incisivos permanentes na dentadura mista mediante o “nivelamento 4×2” – objeto do presente ensaio clínico. A indicação do nivelamento 4×2 na dentadura mista deve considerar a relação custo-benefício. Uma vez planejado na dentadura mista, o rigor da técnica é fundamental para cumprir a meta terapêutica em curto prazo e sem iatrogenias, ou seja, sem reabsorções radiculares, sem impacções dentárias e sem interrupção do processo odontogênico. De certo, o rótulo “nivelamento 4×2” é simplificador e não abarca a complexidade de detalhes operacionais envolvidos. Contudo, quando bem indicado na dentadura mista, garante benefícios de caráter morfológico, estético e psicológico ao paciente. O nivelamento parcial pode ter um alcance mais amplo e ser realizado na dentadura permanente, quando o problema restringe-se à região anterior, sendo mais comum neste estágio o “nivelamento 6×2”. O presente artigo discute uma proposta de nivelamento parcial, localizado na região anterior, nas dentaduras mista e permanente.