Planejamento ortodôntico e cirurgia de dentes não irrompidos: quando, quantos e quais suas conseqüências

Por Administrador

Edição V05N02 | Ano 2006 | Editorial Controvérsias na Ortodontia | Páginas 107 até 111

Alberto Consolaro

Os dentes não irrompidos, especialmente os terceiros molares e caninos superiores, interferem direta e imediatamente no planejamento ortodôntico, mas nem sempre. Quando se têm espaço no arco dentário e antagonistas para uma relação oclusal harmoniosa os terceiros molares poderão estar incluídos no planejamento ortodôntico. Por que o ortodontista deve se preocupar com os dentes não irrompidos, especialmente os terceiros molares, quando não interferem direta e imediatamente no seu planejamento?