Aparelho de Protração Mandibular: uma nova abordagem na confecção do aparelho

Por Administrador

Edição V04N06 | Ano 2005 | Editorial Dica Clínica | Páginas 16 até 29

Luciano Alvim Costa, Rosely Suguino

A má oclusão de Classe II com retrognatismo mandibular tem sido largamente estudada na literatura ortodôntica mundial, apresentando diversas opções terapêuticas tanto com o emprego de aparelhos ortopédicos removíveis quanto os fixos. Os aparelhos ortopédicos funcionais removíveis, apesar da sua eficiência clínica, dependem além de um padrão de crescimento favorável de um outro fator muito importante – a colaboração do paciente. Dentre as opções para o tratamento desta má oclusão destacamos o Aparelho de Protração Mandibular (APM), que vem sofrendo pequenas modificações com o intuito de cada vez mais aprimorar o seu design a fim de torná-lo resistente aos esforços a que é submetido, reduzindo o índice de quebras e propiciando conforto ao paciente. O objetivo deste trabalho é mostrar não uma nova versão do APM, mas simplesmente apresentar uma nova forma de construção, emprego e instalação.