Sucção digital: implicações ortodônticas e estabilidade a longo prazo de um caso tratado precocemente

Por Administrador

Edição V02N02 | Ano 2003 | Editorial Artigo | Páginas 37 até 50

José Fernando Castanha Henriques, Karina Santana Cruz, Guilherme Janson, Flávio Henrique de Oliveira Nóbrega, Marcus Vinícius Neiva Nunes do Rego

A relação entre os hábitos bucais deletérios e as más oclusões tem sido intensamente explorada na literatura. Esses hábitos nocivos podem interferir no padrão de crescimento facial, bem como no desenvolvimento normal da oclusão. De todos os hábitos nocivos da infância, o de sucção digital é o mais freqüente. Apesar disso, considera-se este hábito normal no processo de desenvolvimento da criança até os cinco anos de idade. A sua persistência, após essa época, constitui-se num risco em potencial para as estruturas dentofaciais. A mordida aberta anterior associada ou não a uma mordida cruzada posterior, constitui-se numa má oclusão comumente encontrada em decorrência da permanência desse hábito. Este trabalho propõe-se a revisar conceitos e definir formas de prevenção e tratamento para esse hábito deletério tão comum na infância.