Política Editorial

Por Administrador

1. RECOMENDAÇÕES E OBJETIVOS

1.1. QUEM DEVE USAR AS RECOMENDAÇÕES

2. O AUTOR E OS COLABORADORES

2.1. AUTORIA

2.2. O AUTOR

2.3. CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO

3. DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES E CONFLITO DE INTERESSES

3.1. PARTICIPANTES

3.1.1. AUTORES

3.1.2. REVISÃO POR PARES

3.1.3. EDITORES E EQUIPE DO PERIÓDICO

3.2. RELACIONAMENTOS E ATIVIDADES

4. RESPONSABILIDADE NA SUBMISSÃO E REVISÃO POR PARES

4.1. AUTORES

4.1.1. PERIÓDICOS PREDATÓRIOS OU PSEUDO-PERIÓDICOS

4.2. PERIÓDICOS

4.2.1. CONFIDENCIALIDADE

4.2.2. OPORTUNIDADE

4.2.3. AVALIAÇÃO POR PARES

4.2.4. INTEGRIDADE

4.2.5. DIVERSIDADE E INCLUSÃO

4.3. OS REVISORES

5. PROTEÇÃO DO AUTOR

5.1. PESQUISA EM HUMANOS E ANIMAIS

5.2. PRIVACIDADE DO PACIENTE

 

1. RECOMENDAÇÕES E OBJETIVOS

A Editora Dental Press International desenvolveu essas diretrizes e recomendações seguindo os padrões da ICMJE (International Committee of Medical Journal Editors) e com base nas melhores práticas e padrões éticos na conduta e relato de pesquisas e outros materiais publicados em seus periódicos, para, assim, ajudar e direcionar os autores, editores e outros profissionais envolvidos na revisão por pares e publicação de conteúdos editoriais científicos, bem como criar e distribuir dados precisos, claros e reproduzíveis, além do compromisso em publicar artigos imparciais. As recomendações também podem fornecer informações úteis sobre a edição do periódico e o processo de publicação, para a mídia, pacientes, familiares e leitores em geral.

1.1. Quem deve usar nossas recomendações?

Essas recomendações são destinadas, principalmente, para uso por autores que desejem enviar seus trabalhos para publicação na Clinical Orthodontics. No intuito de garantir as melhores práticas de publicação, a Dental Press International segue as diretrizes do ICMJE, o qual, por sua vez, incentiva seu uso. Os autores, portanto, devem consultar as diretrizes para cada tipo específico de estudo, no seguinte link: equator-network.org.

O ICMJE incentiva a ampla divulgação dessas recomendações e a reprodução do documento na íntegra, para fins educacionais, sem fins lucrativos e sem levar em conta os direitos autorais; mas todos os usos a serem feitos dessas recomendações devem direcionar os leitores para o link www.icmje.org, onde será possível verificar a versão mais recente das diretrizes. A Dental Press, portanto, promove e replica esse link, já que atualizações são feitas periodicamente para melhorar o desempenho das publicações científicas vinculadas ao ICMJE.

2. O AUTOR E OS COLABORADORES

 

2.1. Autoria

A Dental Press entende que é de suma importância a categorização das partes que compuseram um estudo ou pesquisa e, por isso, descreve o que implica na nomeação de cada pessoa que está creditada no artigo. A autoria garante crédito e tem importantes implicações acadêmicas, sociais e financeiras. A autoria também implica em responsabilidade e responsabilização pelo trabalho que foi publicado. As definições a seguir têm como objetivo garantir que os colaboradores que fizeram contribuições intelectuais substantivas para um artigo recebam crédito como autores, mas, também, que os colaboradores creditados como autores compreendam seu papel em assumir a responsabilidade e prestar contas pelo que é publicado.

Como a autoria não detalha quais contribuições qualificaram um indivíduo para ser nomeado como autor, a Dental Press solicita informações sobre as contribuições de cada pessoa envolvida e nomeada, como forma de comprovar a participação de cada uma dessas pessoas que contribuíram para o trabalho. Os editores são encorajados a desenvolver e implementar políticas de contribuição, as quais garantem a otimização dos processos, removendo parte da ambiguidade em torno da autoria, mas deixam sem solução a questão da quantidade e qualidade da contribuição que qualifica um indivíduo como autor. O ICMJE desenvolveu critérios de autoria, descritos a seguir, que são adotados pela Dental Press International.

2.2. O autor

A Dental Press segue os parâmetros do ICMJE, que recomendam que a autoria do trabalho seja baseada em quatro critérios principais:

  • Contribuições substanciais para a concepção ou design do estudo; ou aquisição, análise ou interpretação dos dados para um trabalho.
  • Elaborar o trabalho ou revisá-lo criticamente.
  • Aprovação final da versão a ser publicada.
  • Concordância em ser responsável por todos os aspectos do trabalho, garantindo que as questões relacionadas à precisão ou integridade de qualquer parte do trabalho sejam devidamente investigadas e resolvidas.

Dessa forma, além de ser responsável pelas partes do trabalho que realizou, o autor deve ser capaz de identificar quais coautores são responsáveis por cada uma das partes específicas do estudo. Para que haja um padrão de nomenclaturas, todos aqueles designados como autores devem atender aos quatro supracitados critérios de autoria, e todos os que atendem a esses quatro critérios devem ser identificados como autores.

Esses critérios têm o objetivo de preservar o status de autoria para aqueles que merecem, de fato, o crédito e podem se responsabilizar pelo trabalho — com todos os bônus e ônus desse status. Não é objetivo dessas diretrizes desqualificar profissionais da área ou criar atritos em grupos de pesquisa e estudos. Pelo contrário, servem como base para promover um espaço de publicações saudável, priorizando o mérito de cada um dos envolvidos na versão final do trabalho.

Os indivíduos que conduzem o trabalho são responsáveis por identificar quem atende aos critérios, e devem fazer isso ao planejar a execução do estudo, modificando o que for apropriado, conforme a pesquisa faça progresso. Novamente, a Dental Press ressalta que, seguindo as diretrizes do ICMJE, encoraja a colaboração e a coautoria com colegas nos locais onde a pesquisa é conduzida. É responsabilidade coletiva dos autores — e não do periódico ao qual o trabalho é submetido — determinar todas as pessoas nomeadas como autores e se cada uma delas atende aos critérios estabelecidos.

Assim, não é função dos editores da Clinical Orthodontics determinar quem se qualifica ou não como autor do estudo, ou arbitrar conflitos de autoria. Se não for possível alcançar um acordo sobre as qualificações de autoria, a(s) instituição(ões) onde o trabalho foi realizado, e não o editor da revista, deve(m) ser contatada(s) para investigar o caso. Os critérios usados para determinar a ordem em que os autores são listados na folha de rosto do artigo podem variar e devem ser decididos de forma coletiva, pelo grupo de autores, e não pelo corpo editorial da revista.

Caso os autores do estudo solicitem a remoção ou adição de um autor após a submissão ou publicação do manuscrito inicial, os editores da Dental Press International buscarão uma explicação e uma declaração de concordância com a alteração solicitada, assinada por todos os autores listados e pelo autor a ser removido ou adicionado.

O autor correspondente, ou principal, é aquele que assume a responsabilidade primária pela comunicação com o periódico durante a submissão do manuscrito, revisão por pares e processo de publicação. O autor correspondente, normalmente, garante que todos os requisitos administrativos da revista — como fornecer detalhes de autoria, aprovação do comitê de ética, documentação de registro do ensaio clínico e divulgação dos relacionamentos e das atividades — sejam devidamente atendidos e relatados, embora essas funções possam ser delegadas a um ou mais coautores.

O autor principal deve estar disponível, durante todo o processo de submissão e revisão por pares, para responder às perguntas editoriais em tempo hábil, e deve estar disponível, após a publicação, para responder às críticas ao trabalho e cooperar com quaisquer solicitações da revista quanto a dados ou informações adicionais, caso surjam dúvidas sobre o trabalho após a publicação. Embora o autor correspondente seja o principal responsável pela correspondência com a revista, a Dental Press, seguindo as recomendações do ICMJE, pede para que seus editores enviem cópias de todas as correspondências a todos os autores listados.

Quando um grande grupo de vários autores conduz o trabalho, sugere-se que o grupo decida quem será o autor principal antes de o trabalho ser iniciado, e confirmem quem é esse autor antes de enviar o manuscrito para publicação. Todos os membros do grupo nomeados como autores devem atender a todos os quatro critérios de autoria, incluindo a aprovação do manuscrito final; devem ser capazes de assumir responsabilidade pública pelo trabalho e devem ter total confiança na exatidão e integridade do trabalho de outros autores do grupo. Eles também deverão, como indivíduos, preencher formulários de divulgação dos relacionamentos e das atividades.

2.3. Contribuição para o estudo

Colaboradores que não atendem aos quatro critérios citados no tópico 2.2 não devem ser listados como autores, mas devem ser reconhecidos. Exemplos de atividades que, por si só, não qualificam um colaborador para a autoria são, por exemplo: a obtenção de financiamento; supervisão geral de um grupo de pesquisa ou apoio administrativo geral; assistência na redação, edição técnica, edição de linguagem e revisão. Aqueles cujas contribuições não justificam a autoria podem ser reconhecidos individualmente ou em conjunto, como um grupo (sob um título como “pesquisadores clínicos” ou “pesquisadores participantes”, por exemplo), e suas contribuições devem ser especificadas: “contribuiu como consultor científico”, “revisou criticamente a proposta do estudo” e “analisou os dados coletados” são exemplos de atribuições que podem ser feitas.

Como esse reconhecimento pode implicar em endosso, por parte dos indivíduos reconhecidos, quanto aos dados e conclusões de um estudo, os editores são aconselhados a exigir que o autor correspondente obtenha permissão por escrito de todos os indivíduos e colaboradores reconhecidos no estudo.

3. DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES E CONFLITO DE INTERESSES

A confiança pública no processo científico e a credibilidade dos artigos publicados dependem, em parte, de quão transparentes são as relações e atividades de um autor, direta ou indiretamente relacionadas ao trabalho. Isso deve ser considerado durante o planejamento, implementação, redação, revisão por pares, edição e publicação de qualquer estudo científico na Clinical Orthodontics.

O conflito de interesses ou parcialidade no estudo existe quando o julgamento profissional sobre um interesse primário pode ser influenciado por um interesse secundário (como ganho financeiro). Segundo o ICMJE, os indivíduos podem discordar se os relacionamentos ou atividades de um autor representam conflitos. Embora a presença de um relacionamento ou atividade nem sempre indique uma influência problemática no conteúdo de um artigo, as percepções de conflito podem corroer a confiança na ciência tanto quanto os conflitos reais de interesse.

Em última análise, os leitores devem ser capazes de fazer seus próprios julgamentos sobre se os relacionamentos e as atividades de um autor são pertinentes ao conteúdo de um artigo. Esses julgamentos exigem uma divulgação transparente por meio da declaração de conflito de interesses. A divulgação completa dos compromissos e conflitos de cada autor demonstra um comprometimento com a transparência, e ajuda a manter a confiança no processo científico.

Relações financeiras (como empregos, consultorias, propriedade de ações, honorários, patentes e depoimentos de especialistas pagos) são as mais facilmente identificáveis. Essas são, justamente, aquelas mais frequentes e que são consideradas como potenciais conflitos de interesse e, portanto, as mais prováveis de minar a credibilidade da revista, dos autores e da própria ciência.

Outros interesses também podem representar conflitos, como relacionamentos pessoais ou rivalidades, competição acadêmica e crenças intelectuais. Os autores devem evitar entrar em acordos com os patrocinadores do estudo, com ou sem fins lucrativos, que interfiram no acesso dos pesquisadores a todos os dados do estudo.

Políticas que ditam onde os autores podem publicar seus trabalhos violam esse princípio de liberdade acadêmica. Os autores podem ser solicitados a fornecer à revista, em sigilo, esses acordos. Omitir propositalmente essas relações ou atividades, ao enviar para a revista a documentação pertinente aos conflitos de interesses, é considerado uma forma de má conduta.

3.1. Participantes

Todos os participantes do processo de revisão e publicação por pares — não apenas os autores, mas, também, os revisores, editores e membros do conselho editorial da Clinical Orthodontics — devem divulgar seus relacionamentos e atividades, para poderem desenvolver e cumprir com suas funções no processo de revisão e publicação dos artigos.

3.1.1. Autores

Quando os autores submetem um artigo, de qualquer tipo ou formato, eles são responsáveis por divulgar todas as relações e atividades que possam influenciar ou parecer distorcer os próprios trabalhos. A Dental Press utiliza um Documento de Conflitos de Interesses, desenvolvido pelo ICMJE, para facilitar e padronizar as divulgações de conflitos dos autores. Enfatizando esse critérios da Dental Press, feitos a partir das diretrizes do ICMJE, a Clinical Orthodontics pede para que os autores utilizem o seguinte documento, que está disponível no site da organização: Conflito de interesse

3.1.2. Revisão por pares

Os revisores, na Dental Press, são questionados — no momento em que são demandados a revisar e criticar um artigo — se têm relacionamentos ou atividades que possam comprometer sua revisão. Os revisores devem revelar aos editores quaisquer relacionamentos ou atividades que possam distorcer suas opiniões sobre um estudo, e devem se recusar a revisar artigos específicos se houver potencial para distorção ou conflito de interesses. Os revisores são instruídos, também, a não usar o conhecimento do trabalho que estão revisando antes de sua publicação, visando promover benefícios próprios.

3.1.3. Editores e equipe do periódico

A Dental Press orienta que os editores — que tomam as decisões finais sobre os manuscritos — abstenham-se de decisões editoriais em que tenham relacionamentos ou atividades que representem conflitos potenciais relacionados aos artigos que estão sendo avaliados. Outros membros da equipe editorial, que participam das decisões editoriais, devem fornecer aos editores uma descrição atualizada de seus relacionamentos e atividades, para não tomarem parte de decisões em que exista um interesse que represente um conflito potencial.

A equipe editorial não deve usar para ganho privado as informações obtidas durante a avaliação dos manuscritos. Os editores devem publicar regularmente suas próprias declarações de conflitos de interesses e as de sua equipe editorial. Editores convidados devem seguir os mesmos procedimentos. A Clinical Orthodontics toma precauções extras e tem uma política declarada para avaliação de manuscritos submetidos por indivíduos envolvidos em decisões editoriais.

3.1.4. Relacionamentos e atividades

Os artigos, na Clinical Orthodontics, devem ser publicados com declarações de conflitos de interesses, como o supracitado Formulário de Divulgação do ICMJE, informando:

  • Relacionamentos e atividades dos autores.
  • Fontes de apoio financeiro para o trabalho, incluindo nome do patrocinador, junto com explicações sobre o papel dessas fontes na coleta, análise e interpretação dos dados; quaisquer restrições ou influências quanto ao envio do artigo final para publicação; ou uma declaração de que a fonte de financiamento não teve envolvimento ou restrições quanto à publicação.
  • Se os autores tiveram acesso aos dados do estudo, com uma explicação sobre a natureza e a extensão do acesso, incluindo se o acesso é contínuo.

Para apoiar essa declaração, os editores da Dental Press International podem solicitar que os autores de um estudo patrocinado por um financiador, com um interesse proprietário ou financeiro no resultado, assinem uma declaração, como: “Eu tive total acesso a todos os dados deste estudo e tomo toda a responsabilidade pela integridade dos dados e a precisão da análise dos dados”.

 

4. RESPONSABILIDADE NA SUBMISSÃO E REVISÃO POR PARES

 

4.1. Autores

Os autores devem seguir todos os princípios de autoria e declaração de conflitos de interesses que foram detalhados no decorrer desse documento de conduta e diretrizes de publicação.

4.1.1. Periódicos predatórios ou pseudo-periódicos

Existe, não só no Brasil, mas no mundo, um número crescente de entidades que estão se anunciando como “revistas acadêmicas de Odontologia”, mas não operam seguindo os padrões de qualidade avalizados pela comunidade científica internacional.

Esses periódicos (predatórios ou pseudo-periódicos) aceitam e publicam quase todas as submissões e cobram taxas de processamento (ou publicação) do artigo, geralmente informando os autores sobre isso após a aceitação do artigo para publicação. Frequentemente, afirmam realizar revisão por pares, mas não o fazem, e podem usar propositadamente nomes semelhantes aos de periódicos bem estabelecidos. A Clinical Orthodontics segue todas as diretrizes do ICMJE e, portanto, se furta desse tipo de conduta.

Assim, o corpo editorial da Clinical Orthodontics recomenda que os autores que irão submeter seus trabalhos para o periódico evitem citar artigos (ou que, efetivamente, não o façam) que foram publicados em periódicos predatórios ou pseudo-revistas, pois não há um crivo se, de fato, toda liturgia do método científico foi seguida — assim garantindo os bons padrões científicos e, por conseguinte, dados confiáveis para um estudo sério, cujo foco esteja em procedimentos que resguardem a saúde dos pacientes.

4.2. Periódicos

 

4.2.1. Confidencialidade

Artigos submetidos à Clinical Orthodontics são comunicações privilegiadas, que são propriedade privada e confidencial dos autores. Assim, os pesquisadores podem ser prejudicados pela divulgação prematura de quaisquer detalhes do estudo.

Os editores da revista, portanto, não compartilham informações sobre os originais — inclusive se eles foram recebidos ou se estão sob revisão, seu conteúdo e status no processo de revisão, críticas dos revisores e a decisão editorial final — a nenhuma pessoa que não esteja estritamente relacionada ao processo de editoração, os autores e revisores. Todas as solicitações de terceiros para uso dos dados originais ou análise dos pareceres legais (comitês de ética em pesquisas em animais ou humanos) serão recusadas, e os editores irão fazer o máximo para não fornecer o material confidencial, mesmo em casos de intimação.

Os editores também devem deixar claro que os revisores vão manter em confidencialidade os originais e as informações contidas neles. Os revisores e membros da equipe editorial não devem discutir publicamente o trabalho dos autores, e os revisores não devem se apropriar das ideias dos autores antes da publicação do texto inédito. Os revisores não devem reter o manuscrito para seu uso pessoal e, após enviar as revisões, devem destruir as cópias em papel dos originais, bem como excluir as cópias eletrônicas.

Os editores não devem publicar ou divulgar os comentários dos revisores sem a permissão do revisor e do autor. A política da revista é ocultar dos autores a identidade dos revisores, cujos comentários não são assinados; assim, essa identidade não deve ser revelada ao autor ou a qualquer outra pessoa sem a permissão expressa, por escrito, dos revisores.

A Dental Press se resguarda ao direito da quebra da confidencialidade, no caso de alegação de desonestidade ou fraude. Os editores, entretanto, irão notificar os autores ou revisores, caso haja a intenção de fazê-lo. De outra forma, a confidencialidade será sempre respeitada.

4.2.2. Oportunidade

Os editores da Clinical Orthodontics vão fazer todo o possível para garantir o processamento oportuno dos artigos, considerando-se os recursos disponíveis. Se os editores pretendem publicar um estudo, eles vão tentar fazê-lo em tempo hábil, e quaisquer atrasos planejados serão debatidos com os autores. Se o periódico não tiver intenção de prosseguir com a publicação, os editores vão se esforçar para rejeitar o artigo o mais rápido possível, para permitir que os autores o submetam a um periódico diferente.

4.2.3. Avaliação por pares

Arevisão por pares é a avaliação crítica dos artigos submetidos ao periódico, por especialistas que, geralmente, não fazem parte da equipe editorial. A revisão por pares é uma extensão importante do processo científico — incluindo a pesquisa científica —, como parte de uma avaliação imparcial, independente e crítica; essa é uma etapa intrínseca de todo o trabalho acadêmico.

O real valor da revisão por pares é amplamente debatido, mas o processo facilita uma audiência justa para um manuscrito, entre os membros da comunidade científica. De forma mais prática, isso ajuda os editores a decidirem quais artigos são adequados para cada periódico. A revisão por pares frequentemente ajuda os autores e editores a melhorar a qualidade geral das publicações científicas.

É responsabilidade da Clinical Orthodontics garantir que os sistemas de avaliação por duplo cego sejam implementados de forma a permitir a seleção dos revisores apropriados. É responsabilidade do editor garantir que os revisores tenham acesso a todos os materiais que podem ser relevantes para a avaliação do artigo, além de garantir que os comentários do revisor sejam avaliados e interpretados de forma adequada no contexto de suas relações e atividades declaradas.

O editor da Clinical Orthodontics é o responsável final pela seleção de todo o conteúdo, e as decisões editoriais podem ser tomadas com base em fatores não relacionados à qualidade de um artigo. O editor pode rejeitar um artigo a qualquer momento antes da publicação, inclusive após sua aceitação, se surgirem dúvidas sobre a integridade do trabalho.

Como forma de respeito aos colaboradores, a Clinical Orthodontics notifica os revisores sobre a decisão final de aceitar ou rejeitar um artigo, reconhecendo a contribuição dos revisores para o periódico. Os editores são incentivados a compartilhar os comentários de cada revisor com os demais revisores do mesmo artigo, para que todos possam estar cientes de cada um dos apontamentos no processo de revisão.

Como parte da revisão por pares — seguindo as diretrizes do ICMJE —, os editores desse periódico são encorajados a revisar protocolos de pesquisa e métodos de análise estatística.

A Dental Press International, assim como o ICMJE, acredita que os pesquisadores têm o dever de manter, por pelo menos 10 anos, os dados primários e os procedimentos analíticos que sustentam os resultados publicados. O ICMJE incentiva a preservação desses dados em um repositório de dados, para garantir sua disponibilidade em longo prazo.

4.2.4. Integridade

As decisões editoriais devem ser baseadas na relevância de um artigo para a revista e na originalidade, qualidade e contribuição do estudo para evidências sobre questões importantes. Essas decisões não são influenciadas por interesses comerciais, relações pessoais ou interesses políticos, ou descobertas que contradigam o que já consta na literatura aceita.

Os editores não devem considerar para publicação estudos com resultados inconclusivos ou que não sejam estatisticamente significativos. Mesmo que não publicados, esses estudos podem, futuramente, ajudar a fornecer evidências que, combinadas com as de outros artigos — por meio de meta-análise —, ajudariam a responder questões importantes.

4.2.5. Diversidade e inclusão

Para melhorar a cultura acadêmica, os editores da Dental Press International procuram envolver uma ampla e diversificada gama de autores, revisores, equipe editorial, membros do conselho editorial e leitores.

4.3. Os revisores

Artigos submetidos a periódicos são comunicações privilegiadas, que são propriedade privada e confidencial dos autores e, assim sendo, os autores podem ser prejudicados pela divulgação prematura de quaisquer detalhes do artigo. Assim, os revisores da Clinical Orthodontics estão instruídos a manter em completa confidencialidade os artigos e as informações neles contidas.

Os revisores não devem discutir publicamente os trabalhos avaliados e nem se apropriar das ideias dos autores, antes da publicação do artigo original. Os revisores não devem guardar o estudo para uso pessoal, e apenas a Clinical Orthodontics irá manter as cópias dos manuscritos após o recebimento das revisões.

Os revisores da Dental Press International que buscam a ajuda de um estagiário ou colega, na execução de uma revisão, irão reconhecer as contribuições dessas pessoas nos comentários por escrito ao editor. Esses indivíduos devem manter a confidencialidade do manuscrito, conforme aponta esse documento.

Os revisores desse periódico declaram seus relacionamentos e atividades que possam distorcer sua avaliação de um manuscrito, e se recusam a participar do processo de revisão por pares se houver conflito, conforme as diretrizes que esse documento estipula de forma geral.

5. PROTEÇÃO DO PARTICIPANTE

 

5.1. Pesquisa em humanos e animais

Todos os pesquisadores devem garantir que a condução da pesquisa em humanos esteja de acordo com a Declaração de Helsinque e conforme a revisão do documento, de 2013. Todos os autores devem buscar aprovação para conduzir pesquisas, de um órgão de revisão local, regional ou nacional independente — como, por exemplo, um Conselho Regional de Odontologia ou um comitê de ética.

Se houver dúvida se a pesquisa foi conduzida conforme a declaração, os autores devem explicar a razão de sua abordagem e demonstrar que o órgão de revisão aprovou explicitamente os aspectos que venham a ser duvidosos em relação ao estudo. A aprovação por um órgão de revisão responsável não impede que os editores da Clinical Orthodontics formulem um julgamento próprio, avaliando se a condução da pesquisa foi apropriada.

Ao relatar experimentos em animais, os autores devem indicar se os padrões institucionais e nacionais para o cuidado e uso de animais de laboratório foram seguidos. Orientações adicionais, adotadas pela Dental Press International, sobre ética em pesquisa animal estão disponíveis nas Diretrizes para Autores, do Consenso sobre Ética e Bem-Estar Animal, da Associação Internacional de Editores Veterinários, no seguinte link: https://veteditors.org/consensus-author-guidelines-on-animal-ethics-and-welfare-for-editors.

5.2. Privacidade do paciente

Todos os pacientes têm o direito à privacidade, que não deve ser violada sem um consentimento informado e registrado. As informações de identificação, incluindo nomes, iniciais ou números de hospitais, clínicas ou consultórios, não devem ser publicadas nas descrições escritas ou nas fotografias, a menos que as informações sejam essenciais para os fins científicos, e o paciente (ou responsáveis) deem consentimento por escrito para essa publicação.

O consentimento informado para esse propósito requer que seja mostrado a um paciente, que possa ser identificado, o manuscrito do artigo antes da publicação. Os autores devem divulgar a esses pacientes se algum material potencialmente identificável pode estar disponível na Internet, bem como na versão impressa após a publicação.

O consentimento do paciente por escrito deve ser arquivado junto ao periódico, aos autores ou ambos, conforme ditado pelos regulamentos vigentes na legislação brasileira. A Dental Press afirma, explicitamente, que a legislação adotada pela Clinical Orthodontics segue os parâmetros e as regras constitucionais vigentes no Brasil.

A obrigatoriedade do consentimento informado está incluída nas instruções da Clinical Orthodontics para os autores e, portanto, quando o consentimento informado tiver sido obtido, ele deve ser, necessariamente, indicado no artigo publicado.